As equipas da Segurança Social que, entre os dias 15 e 18 de outubro, prestaram apoio em permanência às vítimas dos incêndios nos concelhos mais fragilizados, ajudaram 2.431 pessoas evacuadas, revelou esta quinta-feira o Instituto da Segurança Social. No terreno, estiveram 111 técnicos, distribuídos por 33 postos de evacuação, que trabalharam em articulação com as autarquias e demais parceiros.

“Foi simultaneamente disponibilizado atendimento informativo pela Linha Nacional de Emergência Social (LNES), através do número 144, para informação acerca destes locais de evacuação das populações”, refere o Instituto da Segurança Social. Neste período crítico, foram recebidas mais de 500 chamadas.

Apenas dois postos de atendimento permanecem a funcionar

Dos 33 postos de atendimento, permaneciam, ao final da tarde de quarta-feira, dois em funcionamento — um situado no Centro Social de Cambra, em Vouzela, e outro no Pavilhão Gimnodesportivo, de Oliveira do Hospital. “Uma vez declarados extintos os incêndios, importa assegurar o apoio social de proximidade e de continuidade às vítimas dos incêndios, com maior incidência nos concelhos mais afetados”, assinala a Segurança Social no comunicado.

Nesse sentido, desde 17 de outubro, que as equipas técnicas do instituto se encontram no terreno para “procederem ao levantamento de necessidades e perdas junto das populações”. Na quarta-feira, “estiveram presentes técnicos da Segurança Social em 25 concelhos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para além desta ação de levantamento, o “apoio da Segurança Social encontra-se assegurado por equipas de ação social nos Serviços Locais existentes, sendo que especificamente para os concelhos mais afetados será garantido o acompanhamento regular com cada família vítima dos incêndios”, explica ainda o comunicado. “Este acompanhamento permitirá ainda ativar os recursos necessários ao nível social, e de encaminhamento ao nível da saúde e de outros, por forma a suportar as pessoas e as famílias no seu processo de recuperação pós-incêndio.”

Na nota divulgada, o Instituto da Segurança Social informa que a linha de emergência social continua disponível para ajudar a encaminhar “pessoas e famílias afetadas para os Serviços Locais de Ação Social”.