O arranque demorou, demorou e demorou, mas valeu mesmo a pena: depois da interrupção do Meo Rip Curl Pro Portugal esta segunda-feira, a etapa portuguesa do Circuito Mundial voltou com a quarta ronda e com grande espetáculo para os amantes da modalidade. Para as aspirações nacionais, as coisas não correram tão bem e Frederico Morais foi relegado para a quinta ronda, mas ainda nada está decidido e o atual melhor rookie mantém intactas as aspirações de conseguir ir mais longe nesta estreia como atleta do Tour.

A terceira bateria até começou da melhor forma para Kikas, que conseguiu colocar-se na frente com um acumulado de 13.60: tinha uma onda excelente (8.33) e outra suficiente (5.27), que lhe dava algum conforto ainda com muito tempo para conseguir melhorar o backup. No entanto, e pela forma como estava o mar, o heat foi sempre aberto e não demorou muito a passar do primeiro para o terceiro lugar: Kanoa Igarashi somou ao 8.33 um 8.50, ao passo que Josh Kerr, com um fabuloso aéreo que lhe rendeu 9.57, reentrou na corrida. O americano acabaria mesmo por confirmar a passagem directa aos quartos-de-final, ao contrário do português e do australiano.

E existem cada vez mais razões para Kanoa Igarashi gostar cada vez mais de Portugal: namorado de Teresa Bonvalot, bicampeã europeia júnior e bicampeã nacional, o americano chega a passar mais tempo no nosso país do que na Califórnia a desfrutar das ondas, das pessoas e da comida, que adora. Aos 20 anos, com a qualificação para o Circuito Mundial de 2018 garantida, está nas sete quintas… e já vai nos quartos-de-final, igualando o melhor resultado que tinha feito nas nove etapas anteriores (curiosamente na Califórnia, que acabou no quinto lugar).

Já Frederico Morais e Josh Kerr, que anunciou aqui em Portugal que irá reformar-se no final da época, esperam agora os adversários na quinta ronda, que sairão dos “não vencedores” do heat entre Mick Fanning, Gabriel Medina e Miguel Pupo, que terminou com o antigo campeão mundial brasileiro.

A quarta ronda começou com o triunfo de Julian Wilson, australiano que já conseguiu ultrapassar na classificação os compatriotas Owen Wright e Matt Wilkinson e que pode ainda saltar para o terceiro lugar caso continue a avançar e Gabriel Medina entretanto ceda. No heat com mais ondas surfadas até agora (29 entre os três participantes), o vencedor do Billabong Pro Tahiti deste ano passou diretamente aos quartos-de-final com um total de 11.67, à frente do havaiano Sebastian Zietz (8.10) e do italiano Leonardo Fioravanti (7.77).

O primeiro heat foi bom, o segundo recuperou a espetacularidade a que tínhamos assistido sobretudo no domingo, segundo dia de competição: com um 7.50 e um 8.07 (total de 15.57), parecia mesmo que o triunfo ia cair para o americano Kolohe Andino mas a seu lado estava o campeão mundial e atual líder do Tour, John John Florence. E com o havaiano, tudo pode acontecer. Como aconteceu: com um tubo que lhe valeu 8.67, passou para a frente com um total de 17.00. Neste cenário, o rookie australiano Connor O’Leary resignou-se com a terceira posição (13.50).

“Aprendi muito no ano passado. O que tiver de acontecer, acontece. No ano passado, estava nervoso com o que se ia passar, será que consigo ir à final; agora não, estou a desfrutar ao máximo”, explicou John John ao canal oficial da World Surf League logo após a bateria e quando as atenções já estavam centradas na terceira bateria.

No último heat da quarta ronda, que juntava os ex-campeões do mundo Gabriel Medina e Mick Fanning, o brasileiro foi mais forte, ganhando por 14.47-12.47. Miguel Pupo, que foi sancionado com uma interferência, ficou-se pelos 5.27, o que o retirou muito cedo da disputa da bateria.

Assim, e nesta altura, estão qualificados para os quartos-de-final e à espera de adversário Julian Wilson, John John Florence, Kanoa Igarashi e Gabriel Medina. Na quinta ronda, já se sabe que Sebastian Zietz vai encontrar Connor O’Leary, ao passo que Kolohe Andino estará com Leonardo Fioravanti. Com o final da última bateria da quarta ronda, ficou a saber-se que Josh Kerr cruza com Miguel Pupo, ao passo que Frederico Morais vai reencontrar Mick Fanning, que lhe venceu logo na primeira ronda desta etapa de Peniche.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR