Sociedade

Quatro homens, um deles militar da GNR, em prisão preventiva por tráfico de droga

Quatro homens, incluindo um militar da GNR, detidos por suspeita de tráfico de droga nos concelhos de Sintra e Mafra, ficaram em prisão preventiva, anunciou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Quatro homens, incluindo um militar da Guarda Nacional Republicana, detidos por suspeita de tráfico de droga nos concelhos de Sintra e de Mafra, ficaram em prisão preventiva, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Uma nota publicada na página da internet da PGDL explica que os arguidos, com idades entre 28 e 39 anos, “em comunhão de esforços, dedicaram-se ao tráfico de estupefacientes (cocaína e metilenodioximetanfetamina/MDMA), que distribuíam de forma direta a consumidores e vendedores a retalho”, entre março de 2016 e outubro deste ano.

Os detidos vendiam a droga nas zonas de Mem Martins, Sintra, Assafora, Ericeira, Mafra, Praia das Maçãs e Azenhas do Mar, “usufruindo da experiência de investigação criminal do militar da GNR para evitar e iludir a obtenção de prova”. “Os arguidos ficaram em prisão preventiva por se verificarem os perigos de perturbação da ordem e tranquilidade públicas, de continuação da atividade criminosa e de perturbação do inquérito na vertente da aquisição e conservação da prova”, diz a PGDL. Duas mulheres, também detidas no âmbito desta investigação, ficaram em liberdade com a medida de coação de Termo de Identidade e Residência.

Durante a operação intitulada ‘Villa’ foram realizadas três buscas domiciliárias, cinco buscas não domiciliárias e 12 buscas em veículos, nas zonas de Sintra e de Mafra, durante as quais foram apreendidas 411 doses de cocaína, 8.050 euros em dinheiro, três veículos automóveis, duas armas de air soft e material de acondicionamento, corte e pesagem da droga.

A investigação prossegue sob a direção do Ministério Público da 4.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal de Sintra da Comarca de Lisboa Oeste, com a coadjuvação da GNR – Secção de Investigação Criminal do Grupo de Intervenção de Operações Especiais da Unidade de Intervenção – Lisboa. O inquérito encontra-se em segredo de justiça.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Futuro

Acessibilidade digital e valorização do interior

António Covas

Quando se fala do futuro próximo do interior é bom não esquecer que em 2030 a geração dos nativos digitais já terá pelo menos 30 anos e os ecossistemas digitais serão o quadro de atuação mais comum.

Liberalismo

Subir a Avenida da Liberdade no 25 de Abril

Sérgio Loureiro

Gostava mais se fôssemos subir a Avenida da Liberdade. Subir para chegar a um Portugal e uma Europa melhores. Subir para que a Liberdade seja individual e plena, e não apenas a tolerada pelo Estado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site