A Altice anunciou esta terça-feira de manhã que apresentará uma queixa-crime contra Paulo Azevedo. Em causa estavam as declarações do presidente da Sonae, que afirmou que o negócio da possível compra da TVI por parte da multinacional holandesa pode originar “uma Operação Marquês dez vezes maior”.

“O Grupo Altice não aceitará que terceiros façam declarações ou insinuações difamatórias relativamente a si ou à sua relação com reguladores, independentemente da posição ou poder desses terceiros. Responsabilizaremos, como é nosso dever, quem fizer afirmações relativamente à Altice que possam, ilegitimamente, afetar os nossos negócios e a nossa reputação”, afirmou a Altice em comunicado.

Entretanto, a Sonae reagiria, e num comunicado enviado ao jornal ECO garante que “não se deixará intimidar” com a queixa-crime.