Rádio Observador

Xi Jinping

Xi Jinping já é o líder chinês mais poderoso desde Mao Tse-Tung

O Pensamento de Xi Jinping foi incorporado na doutrina oficial do Partido Comunista Chinês. É o primeiro desde Mao Tse-Tung a ver, em vida, a sua teoria incluída no documento maior do partido.

Xi Jinping chegou ao poder em 2012 e anunciou esta semana uma "nova era" para a China

Lintao Zhang/Getty Images

Xi Jinping foi consagrado como o líder chinês mais poderoso desde Mao Tse-Tung. A doutrina e a ideologia do atual presidente da China foi incorporada na Constituição do Partido Comunista Chinês, com o nome “Pensamento de Xi Jinping”.

O anúncio simbólico aconteceu no último dia do congresso do partido – que se prolongou por uma semana – em que Jinping prometeu liderar a segunda maior economia do mundo rumo a uma “nova era” de poder internacional e influência. Na cerimónia de encerramento, numa sala batizada com o nome de Mao, um membro da direção do Partido Comunista Chinês revelou que “o pensamento socialista com características chinesas para uma nova era” do presidente ia ser incorporado na doutrina oficial.

O congresso concorda unanimemente que o Pensamento de Xi Jinping deve constituir uma das linhas guias de ação do partido na constituição do mesmo”, refere a resolução.

Num curto discurso dirigido à plateia de mais de dois mil delegados, Jinping afirmou que “hoje nós, mais de 1,3 mil milhões de chineses, vivemos em júbilo e com dignidade. A nossa terra irradia um enorme dinamismo. A civilização chinesa brilha com um esplendor duradouro e deslumbramento”.

Desde que o Partido Comunista Chinês foi fundado, em 1921, apenas um líder assistiu a tão grande honra enquanto ainda era vivo: Mao Tse-Tung. O Pensamento de Mao é uma filosofia oficial e constitui grande parte das linhas gerais do partido. Frases e ideias de outros presidentes foram incluídas na constituição oficial, mas além de Mao e agora Jinping, apenas Deng Xiaoping tem a sua teoria oficializada no documento maior do PC chinês; contudo, esta inclusão só aconteceu já depois da morte de Xiaoping, em 1997.

O The Guardian cita Bill Bishop, autor de um blogue sobre o regime chinês, que afirma que “o nascimento do Pensamento de Xi Jinping confirma os raros níveis de poder e prestígio de que este desfruta.”

Isto significa que ele é efetivamente intocável. Se desafiarem Jinping, estão a desafiar o partido. E os chineses nunca querem estar contra o partido.”

Xi Jinping chegou ao poder em 2012 e o seu mandato atual dura até 2022. Contudo, é expectável que permaneça além disso. Kevin Rudd, antigo primeiro-ministro australiano, escreveu esta semana no Financial Times que “há cinco anos disse que que ele iria ser o líder chinês mais poderoso desde Deng Xiaoping. Estava errado. Ele é agora o líder chinês mais poderoso desde Mao Tse-Tung”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)