O Governo criou um novo produto de poupança, os Certificados de Tesouro Poupança Crescimento, para substituir os Certificados do Tesouro Poupança Mais, e com um menor rendimento associado, também ligados ao crescimento económico.

De acordo com o Ministério das Finanças, o novo produto pode começar a ser subscrito a partir de 30 de outubro e terá uma taxa fixa garantida que aumenta de forma gradual ao longo dos sete anos de maturidade que estes instrumentos têm.

O resgate só é possível ao final de um ano, tal como já acontece com os Certificados do Tesouro Poupança Mais. A partir daí o resgate pode ser feito mas com perda dos juros desde o último vencimento de juros.

Aos juros garantidos, acresce um prémio, também ele inferior, a partir do segundo ano e que está ligado ao desempenho da economia. Esse prémio corresponde a 40% do crescimento médio da economia nos últimos quatro trimestres conhecidos um mês antes da data de pagamento dos juros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas o prémio não pode ser superior a 1,2% em cada ano, ou seja, acima de um crescimento de 3%, o prémio já não aumenta.

O valor mínimo que pode ser subscrito são 1000 euros. O máximo um milhão de euros.