Considerando apenas o terceiro trimestre do ano, o Grupo Renault comercializou 866 mil veículos, mais 9,4% do que no período homólogo de 2016, o que levou a uma facturação de 12,218 milhões de euros, um crescimento de 15,9%. No acumulado dos primeiros nove meses de 2017, o grupo francês facturou 41,755 mil milhões de euros, uma evolução positiva de 16,9% face aos valores relativos a Janeiro-Setembro de 2016.

Na Europa, as vendas do grupo cresceram 2,9%, apoiadas no novo Koleos e no sucesso do Zoe 40, isto além dos bons resultados do Clio, que continua a ser o segundo modelo mais vendido, e do Captur, o líder entre os pequenos SUV. Enquanto isto, a Dacia viu as suas vendas aumentarem 10,3%, sobretudo à custa do Sandero, uma vez que a já anunciada substituição do Duster impediu um melhor resultado do SUV romeno.

Contudo, o melhor desempenho do Grupo Renault foi fora da Europa, onde as vendas aumentaram 13,5%, isto num mercado que cresceu apenas 5,5%. O RCI Banque, a entidade financeira do grupo, registou um incremento da facturação na ordem dos 610 milhões no trimestre, mais 9,5% do que em 2016, com o número de contratos a aumentar 14%.