O Conselho de Estado reuniu-se esta segunda-feira ao longo de quatro horas e, no final, os conselheiros formularam “um voto de profundo pesar pelos trágicos incêndios de 15 e 16 de outubro, evocando respeitosamente as vítimas e suas famílias e manifestando a sua solidariedade às populações afetadas”. A nota, minimal como de costume, explicava apenas que “o Conselho de Estado analisou a situação, perspetivas e desafios da União Europeia”, numa reunião que contou com a presença do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Incêndios. Juncker reitera apoio de Bruxelas e admite reorganizar Proteção Civil Europeia

A mesma nota dá conta de que o presidente da Comissão Europeia apresentou uma exposição introdutória, tendo depois respondido a questões dos conselheiros (que estavam todos presentes).

Desde que tomou posse, em 9 de março de 2016, Marcelo Rebelo de Sousa já convocou sete reuniões do Conselho de Estado, o órgão político de consulta do Presidente da República.