Hyundai

Portugal e Europa. Hyundai aponta a novo recorde

Continua a ofensiva sul-coreana na Europa. Depois do crescimento registado nos dois últimos anos, a Hyundai encaminha-se para mais um ano de vendas recorde. Na Europa e em Portugal.

Autor
  • Francisco António

A viver um momento de forte crescimento na Europa, graças a uma ofensiva de produto sem paralelo na sua história, a Hyundai terminou os primeiros nove meses de 2017 com um aumento de 3% nas vendas, face a igual período de 2016, e um total de 397.907 unidades vendidas no Velho Continente.

A tendência manifesta-se igualmente em Portugal, onde o importador nacional conseguiu, durante o mesmo período, um aumento de 43,8% no número de unidades comercializadas, registando assim o maior crescimento acumulado no top 20 dos ligeiros (cinco vezes superior ao crescimento acumulado do mercado).

Segundo dados divulgados pela Associação Europeia de Fabricantes Automóveis a marca sul-coreana conseguiu, só em Setembro e quanto comparado com o mesmo mês de 2016, um aumento de 2,1% nas vendas em solo europeu. Com Portugal a liderar as subidas, mercê de um crescimento de 23,2%. Logo a seguir, surgem a França (17%) e a Espanha (10%).

“Desde 1977, a Hyundai vendeu mais de 7,5 milhões de automóveis na Europa. O nosso foco no continente europeu provou ser fundamental para o sucesso da empresa e está a suscitar o aumento das vendas”, afirmou o COO na Hyundai Motor Europe, Thomas A. Schmidt, precisando que “as vendas têm sido impulsionadas sobretudo pelos modelos mais vendidos da Hyundai, isto é, o i10, i20, i30 e o Tucson”.

Assim, e “tendo em consideração o ano inteiro, esperamos alcançar um terceiro ano consecutivo de crescimento recorde, destacando o nosso objectivo de nos tornarmos na marca automóvel asiática líder na Europa até 2021”, acrescentou Schmidt.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

25 de Abril

Princípio da União de Interesses

Vicente Ferreira da Silva

O nosso sistema de governo promove desigualdades entre os cidadãos, elimina a responsabilidade dos titulares de cargos públicos e limita as liberdades, os deveres e os direitos fundamentais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)