A exposição dedicada ao autor norte-americano Will Eisner, programada pelo Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, só abrirá ao público no sábado, por causa de problemas alfandegários, disse à Lusa o diretor.

O 28.º festival AmadoraBD abriu portas na semana passada, com grande parte das exposições reunidas no Fórum Luís de Camões, mas uma delas — dedicada a Will Eisner, considerado o pai da novela gráfica — esteve encerrada ao público, com as paredes vazias.

De acordo com o diretor do AmadoraBD, Nelson Dona, as 115 peças que fazem parte da exposição, entre desenhos originais, fotografias, gravuras e publicações, ficaram retiradas na Alfândega, em Lisboa, por razões burocráticas.

“O Estado coloca muitos entraves na entrada de obras de arte em Portugal, mas o mesmo não acontece com a saída de obras do país. Tínhamos a indicação de que as peças iriam chegar a tempo da inauguração, na sexta-feira passada, quando nos apercebemos estavam há duas semanas retidas na alfândega, sem que tivéssemos informação disso”, disse.

Segundo Nelson Dona, a exposição já deverá estar pronta para abrir ao público no sábado.

Comissariada por Denis Kitchen e John Lind, a exposição pretende assinalar o centenário do nascimento do autor norte-americano Will Eisner, um dos nomes fundamentais da banda desenhada mundial.

Will Eisner, que morreu em 2005, é considerado o pai da novela gráfica, precursor da banda desenhada moderna com obras como “Um contrato com Deus”, “O grande jogo” e a série “The Spirit”.

A organização do AmadoraBD tinha anunciado que esta era uma das exposições-chave deste ano, juntamente com outra dedicada a Jack Kirby e a mostra central do festival, dedicada ao tema “A reportagem em banda desenhada”.

O AmadoraBD, organizado pela Câmara Municipal da Amadora, cumprirá a 28.ª edição até 12 de novembro com exposições, lançamentos editoriais e a presença de autores portugueses e estrangeiros de banda desenhada.

No sábado, o AmadoraBD anuncia os prémios para os melhores livros e autores publicados em Portugal ao longo dos últimos meses.