O Governo e o Bloco de Esquerda encontram-se em negociações para incluir no Orçamento de Estado de 2018 — que esta quinta-feira começa a ser discutido na generalidade — uma compensação a quem optou pela reforma antecipada no tempo da troika. Em declarações prestadas ao Público, Pedro Filipe Soares, líder parlamentar bloquista, confirma que o Governo “aceitou discutir um modelo” a partir da próxima semana, quando o OE já estiver a ser discutido na especialidade.

De acordo com Pedro Filipe Soares, o executivo de António Costa “abriu a porta a essa discussão” pela primeira vez “na semana passada”, numa “reunião ao mais alto nível”, em que se discutiu o futuro das mais de 10 mil pessoas que podem vir a ser visadas por esta medida. Vieira da Silva, o ministro do Trabalho, avançou com a possibilidade de essa compensação vir a ser feita através do Complemento Solidário para Idosos.

Outro tema abordado pelo Bloco é o da antecipação da segunda fase das reformas antecipadas sem penalização, tema que, segundo Pedro Filipe Soares, se encontra “mais atrasado”. O Governo quer antes estudar os impactos do primeiro desagravamento que entrou em vigor a 1 de Outubro.