A Comissão Nacional de Eleições de Moçambique (CNE) adiou o recenseamento eleitoral piloto, inicialmente marcado para começar segunda-feira, devido a razões técnicas e logísticas, anunciou esta sexta-feira em comunicado.

O recenseamento visava um ensaio para as eleições autárquicas de 10 de outubro de 2018.

Em comunicado, a CNE informa que será agendada uma nova data para a sua realização.

A nota de imprensa acrescenta que a província de Nampula vai ser retirada da lista dos círculos eleitorais que vão acolher o recenseamento piloto, devido à morte, no dia 4 de outubro, do presidente do município, Mahamudo Amurane.

Nampula será substituída pela província de Cabo Delgado, também no norte do país.

As outras províncias onde se vai realizar o ensaio são Maputo (sul) e Sofala (centro).

O processo está avaliado em 18 milhões de meticais (253 mil euros).

Com o recenseamento autárquico piloto, a CNE pretende aferir o grau de operacionalidade dos equipamentos e das aplicações (‘software’) a usar pelas brigadas de recenseamento.