Sayfullo Saipov, o atacante que matou oito pessoas em Nova Iorque na terça-feira, é um “soldado do califado”, anunciou o Estado Islâmico na sua publicação oficial, citada pela CNN.

“Um dos soldados do Estado Islâmico na América atacou na terça-feira um número de cruzados numa rua na cidade de Nova Iorque”, lê-se no jornal al-Naba, publicado na quinta-feira.

Contudo, o artigo da publicação do Estado Islâmico, além de nem mencionar o nome do atacante, também não fornece qualquer prova de que Sayfullo Saipov estivesse efetivamente a cumprir ordens diretas da organização terrorista.

Saipov, de 29 anos, estaria a preparar o ataque há um ano. Considerado um “consumidor voraz” e um “estudante meticuloso” de propaganda do ISIS, o atacante terá sido incentivado por vídeos de propaganda do grupo extremista que apelavam a matar pessoas que estivessem a celebrar o Halloween.

Segundo a acusação, Sayfullo tinha testado o ataque na semana anterior num parque de estacionamento de loja. A acusação adianta que o terrorista “decidiu usar uma carrinha para fazer o máximo de danos possíveis a civis”.

Nos três anos em que viveu no condado de Stow, no Ohio, até 2015, Saipov começou a mudar os comportamentos. Antigos vizinhos contaram ao The New York Times que Sayfullo se tornara mais agressivo e tinha deixado crescer barba. O líder da comunidade islâmica, que aglomera o mesmo condado, já condenou os ataques, noticia o Akron Beacon Journal, assumindo que Saipov não era membro registado nem ativo da comunidade.

Um imã, que pediu anonimato ao The New York Times, da cidade Tampa, na Flórida, cidade para onde Saipov se mudou e onde vivia até ao atentado, afirmou que estava “preocupado” com a forma como Sayfullo interpretava a mensagem do Islão. O religioso adiantou à mesma publicação que no último ano aconselhou Saipov a estudar a religião e a “acalmar-se”.