O aviso foi deixado no Twitter, e 140 caracteres chegaram para passar a mensagem: o Estado Islâmico “pagará caro” qualquer ataque contra os Estados Unidos, disse, depois de confirmada a ligação ao Estado Islâmico do autor do atentado de terça-feira em Nova Iorque.

“O Estado Islâmico assegura que o animal degenerado que matou e feriu gravemente gente maravilhosa no West Side (em Manhattan) era um seu ‘soldado’. Por causa disso, o exército (norte-americano) bombardeou mais duramente o Estado Islâmico nos últimos dois dias. Pagarão caro por cada ataque contra nós”, escreveu Trump no Twitter.

O Estado Islâmico afirmou na quinta-feira que Sayfullo Saipov, um cidadão uzbeque que chegou em 2010 aos Estados Unidos, e que foi o autor do atentado de terça-feira onde morreram oito pessoas, é um dos seus “soldados”. “Um dos soldados do Estado Islâmico atacou os cruzados numa rua de Nova Iorque”, indicou o grupo num comunicado publicado no seu órgão de propaganda online, o Al-Naba.

“Pela graça de Alá, a operação desencadeou o medo na América dos cruzados, pondo em causa as medidas de segurança e a intensificação dos dispositivos contra os imigrantes na América”, lê-se no comunicado.

Nos primeiros interrogatórios, o atacante jihadista, de 29 anos, ferido e detido depois pela polícia, explicou ter agido “em nome do Estado Islâmico” e declarou-se “orgulhoso” do ato, afirmando ainda que gostava de ter uma bandeira daquela organização terrorista no quarto do hospital.

No Twitter, Trump expressou-se já por duas vezes para reclamar a pena de morte para Sayfullo Saipov.