Rádio Observador

Fotogaleria

Fotogaleria. O abrigo nuclear do antigo presidente Tito

O abrigo subterrâneo do antigo presidente Tito, da ex-Jugoslávia, criado durante a Guerra Fria contra os ataques nucleares, vai ser aberto ao público em forma de museu.

O abrigo subterrâneo do antigo presidente Josip Broz Tito, da ex-Jugoslávia, criado durante a Guerra Fria contra potenciais ataques nucleares, vai ser aberto ao público na forma de museu. Situado na cidade de Konjic, o bunker nuclear está incluído na área de indústria militar, onde se localiza a empresa “Igman”, aquela que é hoje uma das maiores empresas de armas da Bósnia-Herzegovina.

Por decisão do Exército Nacional Jugoslavo, JNA, a construção da instalação começou em março de 1953, tendo sido rotulada como “o maior segredo de estado” – poucas pessoas sabiam da sua construção, uma vez que, durante 26 anos, trabalharam sem grande azáfama para que os habitantes de Konjic não suspeitassem de que estava a ser construída.

ARC é assim que se chama o abrigo subterrâneo, localizado a 280 metros de profundidade, no interior das montanhas locais, sendo constituído por três partes distintas. Por fora, está camuflada por três edifícios que dão acesso precisamente a três entradas para o bunker. O edifício 1, situado acima do solo, era a residência de Tito; o segundo servia para acomodar aqueles que protegiam o edifício fisicamente; e o terceiro era utilizado para abrigar pessoal técnico que se ocupava do Presidente.

Há ainda dois túneis que fazem a ligação entre a parte de fora e o abrigo subterrâneo, e cuja função é também a de absorver? o ataque nuclear. A terceira parte diz respeito a um total de 21 sistemas que permitem a operação e manutenção técnica da instalação.

Em 1979, a instalação, com 6.400 metros quadrados, foi oficialmente entregue à tripulação da então JNA, que era composta por 16 militares – nove sérvios, quatro bósnios e três croatas. Esta infraestrutura foi o terceiro maior investimento do JNA, tendo o governo Jugoslavo gasto 4,6 mil milhões de dólares, na altura.

A ARC tem capacidade para abrigar 350 pessoas por um período ilimitado de tempo: protege-as dos ataques nucleares e oferece condições básicas para viver e trabalhar – a temperatura ronda os 21 ou 23 graus Celsius e humidade relativa de 50 a 60 por mil.

Ao todo, há 12 blocos na instalação que se ligam entre si. As fotografias da ARC podem ser vistas na fotogaleria acima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)