Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se houvesse eleições antecipadas em Espanha, os centristas liberais do Ciudadanos subiriam em flecha, passando dos atuais 32 deputados para um total de 70, tornando-se na terceira maior força política de Espanha. Esta é uma das conclusões da sondagem da SocioMétrica para o El Español, que continua a dar uma vitória do Partido Popular com 117 deputados, menos 20 do que aqueles que conseguiu nas eleições de 2016.

Além do Ciudadanos, também sobe o PSOE, que poderia ter 95 deputados — mais dez do que aqueles que detém atualmente no Congresso dos Deputados.

O maior penalizado desta sondagem é o Unidos Podemos, que junta a Esquerda Unida e o Podemos, que passaria a ter 45 deputados em vez dos atuais 71. Assim sendo, passaria a ser a quarta força política.

Bloco dos partidos unionistas sobe 30 deputados

Visto à luz da atual crise política entre Madrid e a Catalunha, fica claro que, no plano nacional, o conjunto dos partidos que mais se opuseram à realização do referendo à independência daquela região saem reforçados. Apesar da descida do PP, a soma dos deputados dos partidos ditos constitucionalistas — PP, PSOE e Ciudadanos —, por não contemplarem qualquer hipótese que possa levar à independência da Catalunha, passariam a somar agora 282 deputados, mais do 30 do que conquistaram em 2016.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O caso do Ciudadanos é particularmente relevante, uma vez que se trata de um partido unionista fundado na Catalunha e que teve, nos seus primeiros anos, expressão apenas naquela região.

O contrário pode ser dito para a coligação Unidos Podemos. Embora não tenham abordado essa questão no programa que apresentaram em 2016, nas eleições de 2015, o Podemos, que então concorreu separado da Esquerda Unida, defendia a realização de um referendo à independência da Catalunha.

Além disso, segundo a sondagem da SocioMétrica, se houvesse eleições antecipadas o Congresso dos Deputados contaria com outro partido. Trata-se do Vox, cujo líder, Santiago Abascal, é também presidente e fundador da Fundação para a Defesa da Nacão Espanhola (Denaes), responsável por várias manifestações unionistas que tiveram lugar em Madrid desde o pico da crise na Catalunha. O Vox, fundado em 2013, é um partido de direita radical, que se opõe ao estatuto autonómico das regiões e que defende a recentralização do poder legislativo espanhol num só parlamento, em Madrid.