Os negociadores da Câmara dos Representantes e do Senado norte-americanos chegaram a acordo sobre uma lei anual para a política de Defesa que prevê 700 mil milhões de dólares para o Pentágono no orçamento de 2018.

Este valor (correspondente a cerca de 600 mil milhões de euros) representa um grande aumento em relação ao previsto pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pagando por mais militares no ativo, aeronaves e navios do que ele pedira.

Os pormenores deverão ser divulgados ainda esta quarta-feira, mas funcionários do Congresso disseram à Associated Press, a coberto do anonimato, que a lei atribui um pouco mais que 634 mil milhões de dólares para operações do Pentágono e perto de 66 mil milhões para missões em cenários de guerra no Afeganistão, Iraque, Síria e outros locais.

O pedido de orçamento de Trump indicava 603 mil milhões para funções básicas do Pentágono e 65 mil milhões para missões no estrangeiro.

A lei da política de Defesa atribui ainda um aumento salarial de 2,4% aos militares norte-americanos.