O CEO da Opel/Vauxhall, Michael Lohscheller, e o presidente do conselho de administração do Grupo PSA, Carlos Tavares, farão hoje a apresentação do plano que pretende assegurar um regresso sustentado aos lucros da marca que, até há bem pouco tempo, era detida pela General Motors.

A conferência de imprensa onde se traçará o futuro da Opel tem início dentro de momentos, estando marcada para as 08h15, e vai poder acompanhá-la aqui.

Recorde-se que o plano em questão foi anunciado assim que ficou oficialmente concluída a aquisição da Opel pela PSA, estando a sua elaboração e implementação a cargo da equipa que lidera a marca germânica. Mas se o “como” está, de certa forma, nas mãos da Opel, o “quanto” e o “quando” foram de imediato definidos por Carlos Tavares.

O português que conseguiu colocar a PSA numa rota de crescimento, e apontá-la aos lucros, quer que o mesmo aconteça com a Opel, após anos de prejuízos. Por isso, as metas estão balizadas: “O objectivo é gerar fluxo de caixa operacional positivo em 2020, bem como alcançar margem operacional de 2% em 2020 e de 6% em 2026.”

A médio prazo, são esperadas sinergias na ordem dos 1.700 milhões de euros por ano, pelo que são expectáveis cortes – ou na estrutura produtiva da Opel, cuja eficiência Tavares já criticou, ou na própria gama de modelos, ou em ambas.