A estreia do filme “I Love You, Daddy”, escrito, dirigido e protagonizado por Louis C.K., foi cancelada pela produtora da comédia após o The New York Times ter revelado relatos de mulheres que dizem ter sido sexualmente assediadas pelo humorista.

O lançamento estava previsto acontecer nas cidades de Nova Iorque, Chicago e Los Angeles a 17 de novembro. A produtora, The Orchard, comprou o filme por 5 milhões de dólares após este ter sido mostrado no Festival Internacional de Cinema de Toronto, em setembro. “I Love You, Daddy” conta ainda com as participações de John Malkovich e Chloe Grace Moretz nos restantes papeis principais.

Louis CK: o comediante famoso que se masturbava à frente das colegas

No filme, Louis C.K. é um escritor de comédia para televisão que vê a sua filha de 17 anos – Chloe Grace Moretz – iniciar uma relação com um produtor de cinema de 68 anos, representado por John Malkovic.

As repercussões do artigo do The New York Times estenderam-se a outros meios: a Netflix e a HBO também já abandonaram projetos ou colaborações que tinham com o humorista. A HBO cancelou a presença do comediante no especial “Night of Too Many Stars: America Unites for Autism Programs” e a plataforma de streaming disse que não ia produzir o segundo de dois especiais de stand up que Louis C.K. gravou (o primeiro foi lançado em Abril).

O FX, canal que emite várias séries das quais Louis C.K. é produtor executivo, disse estar “perturbado” pelas alegações, mas admite “nunca ter recebido alegações de má conduta”. Os programas de C.K. ainda não foram cancelados, mas o FX disse que a situação estava “sob avaliação”.

Esta sexta-feira, o The New York Times publicou um artigo no qual 5 mulheres acusaram o humorista de ter tido comportamentos impróprios, incluindo ter-se masturbado frente a elas.