Um incêndio que deflagrou no norte do Peru, este domingo, devastou um mural com mais de 2000 anos e uma grande parte dos vestígios de um complexo arqueológico, no departamento de Lambayeque.

A informação foi dada pelo diretor do Royal Tombs Museum de Sipán, Walter Alva, acrescentando, em comunicado, que recebeu “a lamentável e trágica notícia de um incêndio que destruiu o monumento arqueológico de Ventarrón”.

O fogo começou durante a tarde e foi causado por um grupo de trabalhadores da empresa de negócios agrários, Pomalca, que queimou um campo de cana-de-açúcar.

Perdemos um monumento excecional e único, espero que o caso seja investigado e as responsabilidades apuradas. Só posso expressar a minha indignação e tristeza por esta perde irreparável.”, afirmou Walter Alva.

O sítio arqueológico do Ventarrón é um templo com 4.500 anos, localizado no lado oeste das encostas da colina de Ventarrón, precisamente, sendo considerado a expressão arquitetónica original do norte do país. De acordo com o arqueólogo, era “a pintura mural mais antiga da América.”

Em declarações, os Bombeiros afirmaram que a perda é controlada em 95%. A área vai agora ser avaliada por pessoal técnico em conservação de monumentos para que se possa perceber a perda do património no seu total. O Ministério da Cultura condenou qualquer ato que viole o Património Cultural e solicitou ao Ministério Público que iniciasse investigações sobre o sucedido.