República do Congo

Descarrilamento e incêndio de comboio faz 33 mortos na República Democrática do Congo

Pelo menos 33 pessoas morreram e outras 26 ficaram feridas no descarrilamento, seguido de incêndio, do comboio onde seguiam no domingo, no sudeste da República Democrática do Congo.

LUSA

Pelo menos 33 pessoas morreram e outras 26 ficaram feridas no descarrilamento seguido de incêndio do comboio onde seguiam no domingo, no sudeste da República Democrática do Congo, divulgaram as autoridades congolesas. O acidente, na região mineira de Katanga, perto da fronteira com a Zâmbia e com Angola, fez 33 mortos, disse à AFP o governador da província de Lualaba, Richard Muyej Mangez Mans, confirmando um primeiro balanço da rádio da ONU Okapi.

“Vinte e seis feridos graves foram encaminhados para os hospitais”, acrescentou o governador. “As buscas continuam para encontrar sobreviventes nos vagões”, disse o responsável, admitindo que o acesso ao local do acidente é difícil devido ao mau estado da estrada, sobretudo nesta época de chuvas.

O comboio transportava 13 vagões, entre os quais cisternas com combustível. “Num declive, a locomotiva descarrilou numa ravina. No acidente, as cisternas pegaram fogo, surpreendendo alguns passageiros em pleno sono”, informou a rádio Okapi. Os passageiros encontravam-se neste comboio de mercadorias após subirem ilegalmente, disse, por seu lado, a Sociedade Nacional do Caminho de Ferro do Congo (SNCC).

Motor económico da República Democrática do Congo devido à sua riqueza mineral na fronteira com a Zâmbia e Angola, a região de Katanga foi palco de outros acidentes do género. A 22 de abril de 2014, um comboio de mercadorias que transportava centenas de pessoas descarrilou na localidade de Katongola, fazendo entre 74 e 200 mortos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)