A luta pelo ceptro do melhor superdesportivo do mundo está ao rubro. Entre o Bugatti Chiron e o Koenigsegg Agera RS, menos potente mas substancialmente mais leve, não há grande diferença, quanto o tema é acelerar de 0 a 400 km/h e depois travar de regresso a 0 km/h.

Se a aposta mete velocidade máxima, então voltamos a ter o Chiron, mas desta vez frente ao quase desconhecido Hennessey Venom F5, ambos muito acima dos 400 km/h. Acontece que esta hierarquia está em vias de pertencer ao passado, assim que começar a circular o Devel Sixteen, o superdesportivo que será apresentado no Salão do Dubai e que promete qualquer coisa como 5.000 cv. Ou seja, mais de três vezes a potência de um Chiron.

O Devel é, curiosamente, um carro do Dubai. Pertence a uma empresa local, que paga a factura, mas quem trata da produção são os italianos da Manifattura Automobili Torino, os mesmos especialistas em veículos deste tipo – rápidos, eficientes e caros – que também constroem o Glickenhaus SCG 003 e o Apollo Intensa Emozione.

O superdesportivo árabe possui linhas agressivas, com óbvio tratamento aerodinâmico, pois como se espera que atinja uma velocidade máxima elevada (elevadíssima será o termo mais correcto), a estabilidade começa a ser um problema muito sério, especialmente se uma irregularidade do piso o fizer descolar ou levantar a frente.

Mas o maior trunfo do Devel Sixteen está mesmo no sixteen. É que o desportivo tem montado um motor a gasolina de 16 cilindros em V, com 12,3 litros de capacidade, sendo importante realçar que há uma série de camiões com menos cilindrada do que este peso-pluma.

Esta unidade motriz, que é soprada por quatro turbocompressores, qual Bugatti Chiron, foi notícia há dois anos, quando visitou um banco de potência. Na altura, chocou os especialistas ao atingir 4.000 cv. Mas agora, em vésperas da revelação ao público, surge na versão definitiva com uns impressionantes 5.000 cv. Tudo para garantir uma velocidade máxima de 500 km/h. É, muito provavelmente, o primeiro desportivo que, quando for apanhado à velocidade máxima pela brigada de trânsito lá do sítio, o senhor agente vai ficar indeciso entre dar um abraço de parabéns ao condutor, ou prendê-lo, apreender-lhe o veículo e brindá-lo com uma multa à medida.