A Federação Nacional dos Professores vai manter a greve e manifestação junto ao parlamento, na quarta-feira, apesar da ausência do ministro da Educação, internado esta terça-feira, disse à Lusa o secretário-geral da estrutura sindical.

“A nossa luta não é contra o ministro, é contra o Orçamento do Estado”, afirmou Mário Nogueira, acrescentando ter indicações de que o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, deverá ser substituído pelos secretários de Estado no debate da especialidade do orçamento, marcado para quarta-feira no parlamento.

Para o mesmo dia, a Fenprof, a Federação Nacional da Educação e outros sindicatos marcaram uma greve nacional e uma manifestação junto do parlamento.

Contactado pela Lusa, o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, disse, por sua vez, que se reunirá durante a tarde de terça-feira com os dirigentes da estrutura para decidir o que fazer relativamente às ações agendadas para quarta-feira.

O ministro da Educação vai faltar à audição parlamentar de discussão na especialidade do Orçamento do Estado, na sequência do seu internamento hospitalar por tempo ainda indeterminado, disse à Lusa fonte oficial.

Segundo a mesma fonte, Tiago Brandão Rodrigues foi internado de manhã numa unidade do Serviço Nacional de Saúde em Lisboa, com o diagnóstico de síndrome vestibular agudo.

O governante cancelou a agenda prevista para terça-feira e vai ficar sob vigilância e investigação médica nos próximos dias.