Modelo que representa um corte, sobretudo em termos estéticos, com o antecessor, o novo Nissan Leaf pode ter conseguido superar todas as expectativas, nesta fase inicial de lançamento, apenas em mercados como o Japão ou a Europa. Isto porque, apesar de ainda nem sequer ter chegado ao mercado americano, o que acontecerá em Janeiro, o Leaf terá conseguido, só no primeiro mês de comercialização, mais de 23 mil encomendas reais.

A notícia é avançada pelo japonês Daily Kanban, segundo o qual e depois de já se saber que o modelo havia alcançado o primeiro lugar entre os eléctricos mais vendidos a nível mundial, a Nissan terá recebido, só no mercado interno, 9.600 encomendas firmes para o novo Leaf. Ainda que, destas, só tenha conseguido entregar 3.629 unidades a clientes.

A situação ter-se-á ficado a dever a um escândalo envolvendo os seus funcionários responsáveis pela verificação das viaturas à saída da linha de montagem, os quais não teriam a formação necessária para tal. O que acabou por levar à interrupção das entregas no mercado japonês.

Com um total de viaturas entregues na Europa, durante o mesmo primeiro mês de comercialização, a rondar igualmente as 4.000 unidades, a soma dos números levaria a pensar que, ainda assim, a Nissan terá conseguido fazer, no período em questão, perto de 14 mil vendas. Número que não deixa de ser impressionante, mas que também pode andar longe da verdade. Isto porque, segundo terá avançado a própria companhia, aquando dos primeiros testes com os meios de comunicação, ainda no Japão, os números no mercado interno são bem mais expressivos, atingindo mesmo as 19 mil unidades. O que, a ser verdade e uma vez somadas as cercas de 4.000 unidades entregues na Europa, faz disparar o total de carros vendidos para os 23 mil, em apenas um mês de comercialização.