O Sporting voltou esta quarta-feira a pedir castigos ao Benfica pelo apoio ilegal a claques não legalizadas, sanções que poderão ir de multas pecuniárias à interdição do recinto em caso de reincidência, reforçando um processo que já tinha entregue ao Conselho de Disciplina da Federação em abril.

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do clube, revelou no programa “Verde no Branco” da Sporting TV um conjunto de dados em torno do 35.º aniversário da claque Diabos Vermelhos, no último sábado, que se realizou no estádio da Luz: da confirmação da presença de jogadores do plantel principal no convívio (que estiveram, Svilar e Jardel), às visitas condicionadas no recinto nesse dia, passando pela presença de seguranças alegadamente pagos pelo clube, pelo uso de pirotecnia à entrega de uma camisola do Benfica por parte do vice-presidente com o pelouro das modalidades, Fernando Tavares, o responsável leonino comentou que o apoio das águias à claque não legalizada não deixa dúvidas e, tratando-se de uma reincidência, deverá levar à interdição.

https://twitter.com/InformGlorious/status/929763762541821952

Em paralelo, Nuno Saraiva mostrou também uma planta das bancadas da Luz na venda de bilhetes no recinto, onde existem bancadas para onde não é possível comprar bilhetes de época por serem as zonas onde se concentram as duas claques encarnadas. “Só isso já é um benefício que o Benfica dá. Mas seria bom que, a bem da transparência e do esclarecimento público, o país soubesse em que termos o presidente do Benfica autorizou um evento deste género. Seria bom que o IPDJ e a própria Polícia visitassem o estádio da Luz e a empresa que serviu o catering desta festa, para que se verifique em nome de quem as faturas foram passadas. Até pode ser visto nas imagens de vídeo-vigilância, a não ser que tenha existido algum apagão…”, referiu.

Em abril, o Sporting acusava o Benfica de facilitar o funcionamento e as atividades das claques No Name Boys e Diabos Vermelhos, além de autorizar e facilitar a entrada daqueles grupos em zonas específicas do Estádio da Luz. Os leões pediram ainda para que fossem ouvidos os spotters responsáveis pelo acompanhamento dos adeptos encarnados e que estes fossem alvo de vídeo-vigilância; instou os delegados da Liga a cooperar e a testemunhar nos processos disciplinares; e evocou o processo que levou o Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) a propor uma multa de 37.250 euros ao Benfica devido por infrações das claques não legalizadas.

Sporting pede interdição do Estádio da Luz e acusa o Benfica de apoiar claques ilegais

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O FC Porto também se juntou ao Sporting nesse processo, depois de Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos dragões, já ter revelado um email no programa Universo Porto de Bancada, do Porto Canal, de 11 de abril, com uma alegada conversa entre Domingos Soares Oliveira e o chefe de segurança do Benfica, Rui Pereira, que manifestava a sua preocupação ao administrador da SAD encarnada por uma ocorrência na área de serviço de Aveiras, no regresso dos adeptos de um jogo em Braga, onde elementos ligados à claque No Name Boys teriam fugido na autoestrada sem pagar o abastecimento.