O presidente da Câmara de Lisboa, o socialista Fernando Medina, foi esta quinta-feira eleito presidente da Área Metropolitana de Lisboa (AML) durante a primeira reunião deste organismo após as autárquicas de outubro, indicou a AML, que reúne 18 municípios.

Como vice-presidentes do órgão deliberativo da AML foram eleitos Carla Tavares, presidente da Câmara da Amadora (PS), e o presidente de Mafra, Hélder Sousa Silva (PPD/PSD).

Num comunicado entretanto divulgado, a Câmara Municipal de Lisboa indicou, pelo seu lado, que “a descentralização, a melhoria do sistema de transportes rodoviários para a AML e a definição clara dos investimentos em meios pesados de transporte” são as prioridades de Fernando Medina neste mandato de quatro anos na AML, que representa mais de 2,8 milhões de habitantes.

A eleição deste órgão surge numa altura em que o Governo negoceia com os municípios a descentralização de competências do poder central para as autarquias em várias áreas, nomeadamente saúde, educação, ação social e transportes.

Para os transportes, Fernando Medina defendeu “uma posição comum na AML sobre o exercício das suas competências próprias, bem como das competências dos municípios nesta matéria” e salientou a necessidade de “um grande trabalho de coordenação”, acrescentou o comunicado da Câmara de Lisboa.

No Conselho Metropolitano de Lisboa estão representados todos os presidentes das Câmaras Municipais da AML, nomeadamente de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.