O novo presidente do conselho de administração da Sonangol comprometeu-se esta quinta-feira a “utilizar, reativar e atualizar” as regras e estatutos do grupo, para que as estratégias voltem a ser amplamente discutidas na petrolífera estatal angolana.

Carlos Saturnino falava aos jornalistas no final da cerimónia em que o Presidente de Angola, João Lourenço, conferiu posse ao secretário de Estado dos Petróleos, Paulino Jerónimo, e à administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

“Há um momento diferente na indústria petrolífera nacional, mas também internacional, de maneira que todos esses ingredientes fazem parte da base que nós vamos utilizar para esmiuçar qual vai ser o trabalho no curto, no médio e no longo prazo”, disse Carlos Saturnino, que substitui no cargo Isabel dos Santos, exonerada, na quarta-feira, por João Lourenço.

Sobre a relação com as operadoras do setor, Carlos Saturnino garantiu que “já está a melhorar”, acrescentando que nos próximos tempos vai ser repensado o negócio de hidrocarbonetos de Angola, o posicionamento da Sonangol, a sua relação com as companhias internacionais e com as subsidiárias.

“Ou seja, hoje estamos a criar as bases para redesenhar, não só o grupo Sonangol, mas também o negócio mesmo no país”, disse o responsável, sublinhando que a orientação do chefe de Estado angolano, para que as empresas públicas sejam eficientes e lucrativas, vai ser posta em prática.

“Os negócios que não se enquadrarem nessa filosofia, nesta estratégia, naturalmente, farão parte da revisão, mas isso a breve trecho estaremos em condições de informar”, disse.

O Presidente angolano, João Lourenço, pediu hoje aos novos administradores da Sonangol, que “cuidem bem” da concessionária estatal petrolífera, por ser a “galinha dos ovos de ouro” de Angola.

Menos de 24 horas depois de a Casa Civil do Presidente da República ter anunciado a exoneração do conselho de administração da Sonangol, o chefe de Estado deu esta quinta-feira posse à nova equipa da petrolífera estatal, que passa a ser liderada por Carlos Saturnino.

“Continue a ser, para a nossa economia, a galinha dos ovos de ouro. Eis a razão por que fazemos este apelo, para que cuidem bem dela”, disse João Lourenço, na cerimónia realizada hoje no palácio de presidencial, em Luanda.

Angola é atualmente o segundo maior produtor de petróleo em África, atrás da Nigéria, com 1,6 milhões de barris de petróleo, produto que tem um peso de mais de 95% nas exportações angolanas.

O até agora secretário de Estado dos Petróleos, Carlos Saturnino, foi nomeado como novo presidente do conselho de administração da Sonangol. Naquele cargo, o chefe de Estado empossou hoje Paulino Jerónimo, que até setembro foi presidente da comissão executiva da petrolífera.

O ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, exonerou, por decreto que entrou em vigor a 26 de setembro, dia em que tomou posse o novo chefe de Estado, João Lourenço, três administradores executivos da Sonangol, incluindo Paulino Jerónimo, então presidente da comissão executiva.

Já Carlos Saturnino, que agora passa a liderar o maior grupo angolano, totalmente público, foi até dezembro de 2016 presidente da comissão executiva da Sonangol Pesquisa & Produção, tendo sido demitido por Isabel dos Santos, com a acusação de má gestão e de graves desvios financeiros.

A empresária Isabel dos Santos, a filha mais velha de José Eduardo dos Santos, foi nomeada para presidente do conselho de administração da Sonangol, pelo pai, em junho de 2016, na altura com a tarefa de assegurar a reestruturação da petrolífera estatal angolana.