Santa Casa de Lisboa

Vieira da Silva nomeia antigo chefe de gabinete e coloca PS em maioria na cúpula da SCML

388

Com a saída de Santana Lopes, Edmundo Martinho foi promovido a provedor e Vieira da Silva nomeou para vice-provedor João Pedro Correia, que foi o seu chefe de gabinete até março. PS está em maioria.

Edmundo Martinho sucedeu a Pedro Santana Lopes na liderança da Santa Casa

Reinaldo Rodrigues / Global Imagens

aSCML: a sigla significa Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, mas podia significar Santa Casa dos Militantes de Lisboa. O ministro do Trabalho e da Segurança Social nomeou na quarta-feira o seu ex-chefe de gabinete — o antigo deputado socialista João Pedro Correia — como vice-provedor da SCML. A saída do social-democrata Santana Lopes — para se candidatar à liderança do PSD — abriu a porta a que o PS passasse a estar em maioria na cúpula da instituição, que tem sido liderada nos últimos anos por militantes do centrão político.

A saída de Santana Lopes fez com que o socialista Edmundo Martinho, até agora vice-provedor da SCML, fosse nomeado pelo primeiro-ministro António Costa e pelo ministro Vieira da Silva como novo provedor, o que já tinha sido anunciado em outubro. No tempo do Governo de Passos e Portas quase toda a administração era composta por militantes do PSD e do CDS. Quando remodelou a instituição em março de 2016, Costa surpreendeu ao reconduzir Santana Lopes (e dois dos seus anteriores vogais), mas colocou dois homens do PS na administração: Sérgio Cintra, que era administrador da Gebalis, dirigente do PS/Lisboa e foi mandatário de Fernando Medina nas autárquicas; e Edmundo Martinho, comissário nacional do PS. Já em maio de 2017, Vieira da Silva voltou a acrescentar uma vogal com ligações ao PS à administração: Filipa Klut, que foi adjunta de Nuno Severiano Teixeira quando este foi ministro da Defesa no primeiro Governo de José Sócrates.

Desde maio que passou a existir um 3-3 entre PS e PSD, mas Santana, como presidente, tinha voto de qualidade. Só agora, fica reposta aquilo que já é uma normalidade na SCML: a administração ser controlada por militantes do partido que está no Governo. Há quatro militantes com ligações ao PS e sobram dois, do tempo de Passos, com ligações ao PSD (Ricardo Alves Gomes deixou de ser militante em 2005, mas é próximo de Santana e do partido). A surpresa foi mesmo a recondução de Santana Lopes pelo seu antigo adversário em março de 2016, quando se esperava que ocupasse o lugar um socialista.

Olhando aos provedores nos últimos anos, têm acompanhado sempre a cor política do Governo. No tempo de José Sócrates o provedor da SCML era o socialista Rui Cunha (de agosto de 2005 a 13 de setembro de 2011). Já no tempo de Durão Barroso e Santana Lopes — governos em coligação com o CDS — a provedora foi a histórica dirigente centrista Maria José Nogueira Pinto. Entre 2001 e 2002, com António Guterres a liderar o Governo, a provedora foi a socialista Gertrudes Jorge e antes dela a ex-deputada socialista Maria Sacadura dos Santos (entre janeiro de 1996 e dezembro de 2001). Entre 1992 e 1996, com Cavaco Silva no poder a provedora foi Maria Fernanda Mota Pinto (do PSD). A tradição de um provedor com cartão de militante já dura há 25 anos.

Quem é o novo vice-provedor?

João Pedro Correia — como confirma o despacho publicado em Diário da República na quarta-feira, é gestor de marketing e era já vice-presidente executivo da SAS – Apostas Sociais, Jogos e Apostas Online, S. A. Ou seja: fazia parte da direção dos jogos da SCML, cargo que ocupou após sair de chefe de gabinete de Vieira da Silva.

João Pedro Correia iniciou a atividade no setor agroindustrial, na área de marketing como gestor de produto e marca, mas passou por diversos cargos políticos: foi assessor do Partido Socialista na área da organização, deputado à Assembleia da República na VII e VIII legislaturas, foi assessor e chefe de gabinete do Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social no XVII Governo Constitucional (Vieira da Silva, no primeiro Governo de Sócrates), bem como chefe de gabinete do Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento no XVII Governo Constitucional (também de Vieira da Silva, no segundo Governo de Sócrates. Já durante o atual governo de António Costa foi chefe de gabinete de Vieira da Silva no ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)