O tenista belga David Goffin, oitavo do ranking mundial, qualificou-se este sábado pela primeira vez para a final das ATP Finals, ao surpreender o suíço Roger Federer, número dois mundial.

A viver uma semana de sonho em Londres, Goffin, que apenas tinha disputado um encontro no torneio de final de temporada — derrota com Novak Djokovic em 2016, então como suplente –, iniciou a prova com um triunfo sobre o espanhol Rafael Nadal, número um mundial, e bateu hoje Federer, por 2-6, 6-3, 6-4, em uma hora e 46 minutos.

“Não tenho palavras. Não consigo descrever como me estou a sentir… Tanta alegria, tanta felicidade”, disse ainda no court.

Goffin tornou-se apenas no terceiro tenista a derrotar Nadal e Federer na mesma edição do Masters e no sexto a vencer os dois tenistas num mesmo torneio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A missão de Goffin parecia, à partida, quase impossível, uma vez que em seis encontros frente a Federer apenas tinha vencido dois ‘sets’ e mais difícil se pareceu tornar quando o suíço venceu o primeiro parcial, por 6-2.

Contudo, o belga, 10 anos mais novo do que Federer e que tinha admitido não saber o que fazer para vencer a meia-final, conseguiu impor a quinta derrota da temporada ao suíço e tornar-se no primeiro belga a atingir a final das ATP Finals.

Certo é que as ATP Finals terão um novo vencedor, com Goffin a defrontar o vencedor do encontro entre o búlgaro Grigor Dimitrov, sexto do mundo, e o norte-americano Jack Sock, nono, ambos estreantes no torneio.