A sede da Autoridade Bancária Europeia vai ficar em Paris, que na votação realizada esta segunda-feira em Bruxelas derrotou Dublin por sorteio, tal como Amesterdão batera Milão para a sede da outra agência que deixa o Reino Unido, a EMA.

Na votação para eleger a futura sede da EBA, passaram à segunda volta Dublin, Paris e Frankfurt, tendo as duas primeiras recolhido mais votos e passado à terceira e última volta, na qual se registou uma igualdade (13 votos cada), sendo por isso necessário recorrer a um sorteio, tal como sucedera pouco antes na votação para a sede da Agência Europeia do Medicamento.

No sorteio, realizado no Conselho de Assuntos Gerais da UE, a capital francesa venceu, e acolherá assim o organismo de regulação dos bancos no mercado único.

A Autoridade Bancária Europeia saudou a escolha de Paris como sua nova sede e garantiu que a decisão “garante uma continuação sem interrupções” das suas atividades.

O organismo, que está sediado em Londres, sublinhou, em comunicado, que a escolha da capital francesa “traz segurança aos seus atuais e futuros empregados sobre a nova localização” e “acaba com um período de incerteza”.

No texto, acrescentou-se que “a EBA confia em que a França vai apoiar a Autoridade para assegurar uma transição fluida, algo crucial para continuar a desenvolver os objetivos de manter a estabilidade financeira da União Europeia e salvaguardar a integridade, eficiência e funcionamento ordenado do setor bancário”.

A EBA, que conta com 159 trabalhadores, estabeleceu-se na capital britânica, quando foi criada, em 2011, mas vai abandonar o Reino Unido perante a saída do país da União Europeia, que está prevista para 29 de março de 2019.

A cidade holandesa de Amesterdão vai acolher por seu turno a futura sede da Agência Europeia do Medicamento (EMA), ao bater Milão (Itália) por sorteio, após um empate 13-13.

Numa “corrida” na qual participava a cidade do Porto – que foi afastada na primeira volta, ao ser a sétima cidade mais votada -, Milão foi a cidade a reunir mais votos nas duas primeiras voltas, mas na terceira e última ficou empatada com Amesterdão, e a cidade holandesa viu a sorte sorrir-lhe no sorteio.

São assim conhecidas as duas cidades que vão acolher as duas agências que vão deixar o Reino Unido em virtude do ‘Brexit’, que se concretizará em 2019.