As Honduras vão passar a exigir, “de imediato”, um visto para que os venezuelanos possam entrar no país, anunciou esta segunda-feira a Secretaria de Estado de Relações Exteriores e Cooperação Internacional hondurenha.

A exigência do visto, segundo um comunicado publicado na página daquele organismo na Internet, é aplicada “em reciprocidade” com igual exigência feita por Caracas.

“A DRECI considera importante que a opinião pública, nacional e internacional, conheça que os hondurenhos necessitam de visto para ingressar na Venezuela, pelo que, no exercício da sua soberania e em aplicação da Lei, o Governo das Honduras, decidiu aplicar o critério de reciprocidade a fim de que os nacionais da Venezuela sejam incluídos na categoria de países ‘C’, que requerem de visto consultado”, explica aquele organismo.

O comunicado sublinha que as Honduras decidiram que, “sem exceção, aos nacionais da Venezuelana será requerido um visto para ingressar no território” hondurenho.

Segundo o DRECI, para solicitar um visto para as Honduras, os venezuelanos devem preencher um formulário do Instituto de Migração, acompanhado por uma carta devidamente autenticada, com a direção exata do advogado que atuará como seu epresentante legal.

Também uma ata de responsabilidade da pessoa natural ou jurídica que se responsabilizará pelo venezuelano, uma fotocópia autenticada do documento de identidade e do passaporte do solicitante, um certificado médico autenticado, um certificado de não existência de antecedentes criminais, autenticado, um mapa da direção exata onde estará o interessado e uma fotografia da residência.

Para solicitar o processo de visto devem pagar a quantia 100 dólares (82,70 euros).

“Esta decisão, de aplicação imediata, já foi comunicada, por via diplomática ao Governo da República Bolivariana da Venezuela”, conclui.

Segundo a imprensa local, na última quinta-feira as autoridades hondurenhas negaram o ingresso ao país do grupo musical venezuelano Los Guaraguao, que tinha sido invitado ao encerramento da campanha política da Aliança de Oposição Contra a Ditadura, das Honduras.

A Aliança de Oposição Contra a Ditadura está integrada pelos partidos Liberdade e Refundação, e Inovação e Unidade-Social Democrata, sendo presidida pelo ex-presidente das Honduras, Manuel Zelaya.