A dívida pública fixou-se em setembro nos 130,9% do Produto Interno Bruto, abaixo dos 132,1% registados no segundo trimestre, segundo dados divulgados hoje do Banco de Portugal.

Contudo, face ao final de 2016, o rácio da dívida pública face ao PIB aumentou, uma vez que este era de 130,1% em dezembro passado.

Ainda de acordo com o boletim estatístico publicado esta quarta-feira pelo banco central, a dívida em valor nominal das administrações públicas na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, foi de 249.141 milhões de euros em setembro.

Este valor significa menos 1.247 milhões do que o valor nominal de agosto (250.388 milhões de euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Contudo, há um aumento do valor nominal da dívida em relação quer a junho quer a dezembro passado, pelo que a redução do rácio face ao PIB se explica pelo crescimento da economia.

Em junho, a dívida nominal era de 249.030 milhões de euros, pelo que de junho para setembro aumentou 111 milhões de euros.

Já comparando com o ‘stock’ da dívida pública registado em dezembro do ano passado, de 240.958 milhões de euros, verifica-se que, nos primeiros nove meses deste ano, a dívida nominal aumentou 8.183 milhões de euros.

Excluindo os depósitos da administração pública, a dívida na ótica de Maastricht situou-se nos 221.623 milhões de euros até setembro do ano, o que representa um acréscimo de 2.209 milhões face a junho (quando era de 223.832 milhões de euros o valor líquido de depósitos) e de 3.204 milhões de euros em relação ao final do ano passado (quando era de 218.419 milhões).

Na proposta do Orçamento do Estado para 2018, apresentada em outubro, Governo estimou que a dívida pública desça para 126,2% em 2017 e que em 2018 seja de 123,5%.