Rádio Observador

Exposições

Exposição dos finalistas do Prémio Sonae Media Art é inaugurada em Lisboa

A exposição dos finalistas da segunda edição do Prémio Sonae Media Art 2017 é inaugurada esta quarta-feira no Museu do Chiado, em Lisboa. Os cinco finalistas disputam o prémio final de 40 mil euros.

O prémio foi criado em 2015 para distinguir e divulgar criações artísticas na área de 'media art'

LUSA

A exposição dos finalistas da segunda edição do Prémio Sonae Media Art 2017, André Martins, André Sier, Nuno Lacerda, Rodrigo Gomes e Sofia Caetano, vai ser inaugurada esta quarta-feira, às 19:00, no Museu do Chiado, em Lisboa. De acordo com o Museu Nacional de Arte Contemporânea — Museu do Chiado, que organiza o galardão em parceria com a Sonae, os cinco finalistas selecionados pelo júri nesta segunda edição vão disputar o galardão, no valor de 40 mil euros.

Nesta segunda edição, de um universo inicial de 147 candidaturas recebidas, foram validadas 123 e escolhidos os cinco finalistas, cujo anúncio foi feito em fevereiro deste ano, estando previsto o anúncio do vencedor para dezembro. Criado em 2015 para distinguir e divulgar criações artísticas na área de ‘media art’, o prémio envolve também uma bolsa de criação individual de 5 mil euros, destinada a apresentar obras inéditas, que vão ser agora expostas no Museu do Chiado.

André Martins, nascido em 1994, vive e trabalha em Lisboa, e está a concluir a licenciatura em Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

André Sier, nascido em 1977, é artista programador, com formação em ciências e artes, licenciatura em filosofia, e trabalha com vídeo, som, eletrónica, desenho, escultura e videojogos, desde 1997, contando com mais de 25 exposições individuais e 80 participações em exposições coletivas, festivais e eventos artísticos.

Nuno Lacerda, nascido em 1983, vive e trabalha em Lisboa, é licenciado em Artes Plásticas – Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tem formação em banda desenhada pelo CITEN – Centro de Arte Moderna José Azeredo de Perdigão, Fundação Calouste Gulbenkian, e formação em representação teatral pela Casa de Teatro de Sintra.

Rodrigo Gomes, nascido em 1991, vive e trabalha em Lisboa, frequenta o mestrado de Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, e é licenciado em Escultura pela Universidade de Évora (2012-2015), e pós-graduado em Arte Sonora pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015-2016).

Sofia Caetano, nascida em 1987, é açoriana, e vive e leciona em Boston, nos EUA. Licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tendo estudado também Media Art no Emerson College.

O Prémio Sonae Media Art dirige-se às formas de criação artística contemporânea que utilizem meios digitais e eletrónicos, nas áreas de ‘vídeo arte’, projetos sonoros, projetos de exploração do virtual e da interatividade, bem como propostas de ‘network’ (rede), em que poderão estar incorporadas outras formas de arte como a ‘performance’, a dança, o cinema, o teatro ou a literatura.

Na primeira edição, em 2015, a vencedora foi a artista Tatiana Macedo, com a obra “1989”.

A mostra dos finalistas da segunda edição ficará patente até 1 de abril de 2018.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)