Morte

Morreu o ator norte-americano David Cassidy

191

O ator, de 67 anos, ficou conhecido na série de televisão "The Partridge Family", nos anos 70. Morreu esta terça-feira devido a falência dos órgãos.

DARRIN BUSH / LAS VEGAS NEWS BUREAU HANDOUT/EPA

O ator e músico norte-americano David Cassidy morreu esta terça-feira aos 67 anos, após ter sido internado, na semana passada, por falência funcional de órgãos.

“É com grande tristeza que anunciamos, em nome da família Cassidy, o falecimento do nosso querido pai, tio e irmão David Cassidy”, informou na noite de terça-feira a sua representante JoAnn Geffen, em comunicado.

David Cassidy ficou conhecido sobretudo pela série de televisão “The Partridge Family”, exibida entre 1970 e 1974. Neste vídeo pode rever uma das músicas interpretadas na série.

“David morreu rodeado por aqueles que amava, com alegria no seu coração e livre da dor que o paralisava há muito tempo”, de acordo com o comunicado.

O artista, que estava em estado crítico num hospital na Flórida após ter sido internado na passada quarta-feira por falência funcional de órgãos, anunciou no início do ano que tinha sido diagnosticado com demência.

Nessa altura, colocou termo à carreira musical de 50 anos, também por causa da artrite que tornava um martírio o ato de tocar guitarra, afirmou na altura Cassidy à revista People.

Após a fama que alcançou na década de 1970, na sequência de uma série de álbuns, com êxitos como “I Think I Love You”, e aparições televisivas de sucesso, Cassidy lidou, nos anos seguintes, com problemas de álcool, que levaram a que fosse detido por diversas ocasiões por conduzir com níveis acima do permitido e, mais tarde, em 2014, a um processo de reabilitação.

No ano seguinte, o músico, natural de Nova Iorque, declarou estar falido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)