A agência S&P decidiu atribuir uma perspetiva “negativa” para a notação de crédito da Altice, o que corresponde a indicar aos investidores que é possível um corte de rating no futuro próximo.

O rating deverá mesmo cair se a empresa não conseguir melhorar o desempenho operacional em França. A decisão deve-se, também, aos sinais claros de uma deterioração da confiança dos investidores na gestão da empresa, patentes na queda de cerca de 50% do valor das ações em poucas semanas.

A S&P, que com o seu rating está, no fundo, a avaliar o nível de risco de incumprimento na dívida, considera que a Altice tem uma posição de liquidez “adequada”. Além disso, a S&P considera que a Altice tem várias linhas de crédito de contingência e tem um bom perfil de reembolsos. O problema é que a S&P cortou as previsões de crescimento dos resultados operacionais da Altice em França para -2,5%, ou seja, uma perda de negócio em 2018 (a previsão anterior era de um crescimento de 3%).