A criação de emprego na zona euro cresceu em novembro ao maior ritmo dos últimos 17 anos, sustentada pelo aumento de novas encomendas que, somadas às pendentes, levou as empresas a contratarem mais pessoal, segundo estimativas da Markit divulgadas esta quinta-feira.

De acordo com a empresa de serviços de informação financeira Markit, a estimativa do PMI (Purchasing Managers Index) composto da atividade total da zona euro em novembro subiu para 57,5 pontos, um máximo dos últimos seis anos e meio e contra 56 pontos em outubro.

Segundo o relatório da empresa, a economia da zona euro está a mostrar sinais de crescimento intenso no último trimestre, uma recuperação liderada pelo setor industrial, com o maior número de encomendas desde abril de 2000, que compensou a moderação do setor dos serviços.

A Markit também sublinha que a capacidade de produção das empresas está sob pressão, já que estas registaram a maior incidência de atrasos nos prazos de entrega dos últimos 17 anos.