Jon Venables, um dos dois condenados pelo brutal assassinato de James Bulger, uma criança de dois anos, foi novamente detido. O The Sun conta que durante uma busca de rotina na semana passada, as autoridades britânicas encontraram imagens de abusos sexuais a menores no computador do inglês, que tinha 10 anos na altura do crime.

Venables, agora com 35 anos, tinha 10 quando foi condenado em conjunto com o amigo Robert Thompson pelo assassinato de James Bulger, de dois anos. No dia 12 de fevereiro de 1993, o pequeno James foi dado como desaparecido pela mãe no centro comercial de Bootle, em Merseyside, no Reino Unido. As câmaras de vigilância revelaram que a criança tinha sido raptada pelos dois rapazes.

O corpo de James foi encontrado dois dias depois numa linha de comboio, a quatro quilómetros de onde tinha desaparecido. Estava despido da cintura para baixo, tinha tinta azul nos olhos e foi espancado até à morte com tijolos e uma barra de metal.

Jon e Robert, de dez anos, foram condenados a prisão sem data de libertação e o juiz disse que este era um ato de “maldade e barbaridade sem paralelo” e chegou a sugerir que os filmes violentos poderiam ter inspirado os dois rapazes. Depois de estarem presos oito anos, saíram em liberdade condicional perpétua com novas identidades em 2001. Depois de uma ameaça do pai de James Bulger, que prometeu “caçar os assassinos do filho”, ganharam um processo que obrigava o Supremo Tribunal a proteger o seu anonimato para sempre.

Mas esta não é a primeira vez que Jon Venables regressa à prisão. Depois de pequenos delitos em 2008, como posse de droga e desordem, foi condenado a dois anos de prisão efetiva em 2010 por ter comprado imagens de abusos sexuais a menores. Voltou a sair em liberdade condicional em 2013.

Em entrevista à Sky News, a mãe de James Bulger afirmou que “Venables provou sem qualquer dúvida o vil e pervertido psicopata que sempre foi”.

“Eu espero encontrar finalmente alguma paz para o meu filho James. Eu previ que ele ia reincidir a não ser que o tivessem em rédea curta”, disse Denise Fergus.

No Twitter, a mãe de James Bulger limitou-se a escrever “aqui vamos nós outra vez”. O marido, Stuart Fergus, respondeu “tu sempre disseste isto”.