Se se confirmar um acordo com os trabalhadores, sobre o trabalho ao fim de semana, a AutoEuropa deverá contratar mais 400 trabalhadores no próximo ano, para avançar com a produção do modelo T-Roc, que começa a ser vendido em Portugal esta sexta-feira e está a ter um volume de encomendas superior ao esperado — daí a hipótese de contratar mais pessoas. A informação foi confirmada por fonte da Comissão de Trabalhadores da empresa, em declarações ao Diário de Notícias.

A confirmar-se essa contratação, os 400 trabalhadores vão juntar-se aos 2.120 já contratados desde o início do ano para a fábrica de Palmela (onde passariam a trabalhar 5.800 pessoas). “Se houver acordo, haverá uma aceleração das contratações para o próximo ano. Esta nova fase de recrutamento não estava prevista inicialmente”, assume o fabricante de automóveis, passando a bola para a votação que deverá ocorrer na quarta-feira para validar, ou não, o pré-acordo atingido na segunda-feira sobre os horários de trabalho.

A Comissão de Trabalhadores e a administração da AutoEuropa chegaram na segunda-feira a um pré-acordo sobre os horários de trabalho. Segundo avançou à Lusa Fernando Gonçalves, coordenador da Comissão de Trabalhadores da AutoEuropa, o acordo prevê a implementação de dois tipos de horários distintos: um que irá vigorar de fevereiro a julho do próximo ano e outro que já inclui a laboração contínua da fábrica de automóveis de Palmela depois do habitual período de férias dos trabalhadores (em agosto).

O representante dos trabalhadores explicou que os funcionários vão rodar pelos três turnos (manhã, tarde e noite) semanalmente, em vez de permanecerem várias semanas em cada um destes turnos, conforme pretendia inicialmente a administração da AutoEuropa.

Fernando Gonçalves disse ainda que o acordo assinado hoje com a AutoEuropa foi subscrito pelos 11 elementos das diferentes listas que concorreram ao último ato eleitoral e que têm representantes na atual Comissão de Trabalhadores.