A União Nacional Africana do Zimbabué–Frente Patriótica (ZANU-PF) garantiu esta quinta feira que não agirá judicialmente contra o ex-Presidente Robert Mugabe, forçado a demitir-se, sob forte pressão do Exército, após 37 anos no poder.

Um responsável da ZANU-PF, Lovemore Matuke, afirmou que agir judicialmente contra Robert Mugabe nunca fez parte do plano para remover o Presidente do poder e assegurou que os funcionários do partido deram garantias a Mugabe de que não seria processado.

Matuke afirmou que Mugabe, que se encontra em Harare com a mulher, Grace, “está seguro, a sua família está segura e a sua condição de herói do país está assegurada”.

“Tudo o que nós queríamos é que ele se demitisse ou enfrentasse um ‘impeachment'”, acrescentou.

Emmerson Mnangagwa é empossado na sexta-feira chefe de Estado do Zimbabué, três dias após a demissão histórica de Robert Mugabe, afastado na noite de 14 para 15 de novembro num golpe dos militares, que se opunham à chegada ao poder de Grace Mugabe e pressionado também pelo seu partido e pelo povo.