A Marinha argentina confirmou ter registo sonoro do que parece ter sido uma explosão perto da zona onde o submarino desapareceu na passada quarta-feira com 44 tripulantes a bordo.

De acordo com as informações divulgadas esta quinta-feira por fonte oficial da Marinha, avança a BBC, “um evento anormal, singular, curto, violento e não nuclear foi detetado no Atlântico sul, na zona onde o ARA San Juan estaria e na mesma altura em que enviou o último sinal de que há registo.

As operações de busca continuam, reforçadas com o apoio de mais de 12 países, incluindo Rússia e Estados Unidos. Esta quinta-feira, um avião da marinha norte-americana, um P-8A Poseidon, detetou um objeto perto do local onde o submarino argentino ARA San Juan desaparecido há mais de uma semana emitiu o último sinal, avança a Sky News.

Como se procura um submarino, uma “arma discreta” feita para não ser encontrada?

O objeto ainda não foi identificado. A marinha alerta que ainda é muito cedo para dizer que o objeto esteja relacionado com o estranho desaparecimento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O submarino argentino San Juan desapareceu há mais de uma semana, no dia 15 de novembro. Às 7h30 locais (10h30 em Lisboa) do dia 15 de novembro, a embarcação fez último contacto com a base a reportar uma avaria elétrica. Há 44 marinheiros a bordo, com condições para sobreviver pelo menos ao longo de sete dias dentro do navio. O prazo termina esta quinta-feira.