Vulgarmente apontada como um das companhias líderes no domínio do veículo eléctrico, na Tesla, esta liderança não parece traduzir-se em dinheiro. A demonstrá-lo estão dados avançados pela agência Bloomberg, segundo a qual a empresa liderada por Elon Musk tem passado os últimos 12 meses a perder 8.000 dólares (cerca de 6.800 euros) por minuto.

Numa altura em que a companhia acaba de apresentar mais três modelos para o futuro, um desportivo (Roadster), um camião (Semi) e uma pickup, a agência garante que, a queimar dinheiro ao ritmo que tem vindo a fazer – 480 mil dólares à hora; 11,5 milhões ao dia – a Tesla deverá ficar sem fundos a meio de 2018. Mais precisamente, dia 6 de Agosto do próximo ano.

“A Tesla vai falir”, afirma Bob Lutz (ex-GM)

“Independentemente de conseguir aguentar-se mais 10 meses, ou um ano, a Tesla precisa de dinheiro, e depressa”, sentencia o analista sénior da Bloomberg Intelligence, Kevin Tynan. Para quem, apesar das promessas e da confiança do mercado, a marca norte-americana não tem outra solução que não seja arranjar, pelo menos, 2.000 milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros) até meados de 2018. Caso contrário…

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A companhia estará a destruir mais de mil milhões de dólares (quase 850 milhões de euros) por trimestre, só na produção do Model 3. Modelo que, uma vez chegado ao mercado, não deverá custar mais de 35 mil dólares (29,700 euros), não anunciando, por isso, lucros tão rápidos ou substanciais quanto isso.

Investidores (ainda) confiam

Apesar de alertas como este, os investidores parecem continuar a acreditar na companhia. Sendo que a própria Tesla, embora consciente desta dura realidade, acredita que poderá recuperar alguma da capacidade financeira, com o início da comercialização do Model 3. Modelo que, recorde-se, não tem tido propriamente um início de vida fácil, a braços com dificuldades em incrementar o ritmo de construção.

Vale a pena? Tudo o que quer saber sobre o Model 3

Igualmente a alimentar estas expectativas, tanto dos responsáveis da Tesla como do próprio mercado, está o facto de, mesmo com estas notícias, as acções da marca norte-americana terem voltado a subir depois do anúncio do Semi e do Roadster – quase 3%, na passada terça-feira, para os 317,81 dólares (quase 279 euros). Levando a que o valor de mercado da companhia esteja agora nos 53 mil milhões de dólares (45 mil milhões de euros). Isto quando a gigante General Motors não ultrapassa os 48 mil milhões de dólares (menos de 41 mil milhões de euros).