O Museu do Fado anunciou a celebração da classificação do Fado como Património da Humanidade, pela UNESCO, em parceria com a casa de fados Mesa de Frades, com 24 horas consecutivas de Fado, na próxima segunda-feira.

“Assinalamos o 6.º aniversário da consagração do Fado como Património Cultural Imaterial da Humanidade com uma maratona de 24 horas de Fado, no espaço renovado de uma das mais carismáticas casas de fado de Lisboa: a Mesa de Frades”, afirma o Museu do Fado em comunicado, enviado esta sexta-feira à agência Lusa.

A maratona fadista inicia-se às 08h00 de segunda-feira e prossegue, ininterruptamente, até às 08h00 de terça-feira, com a atuação, entre outros, dos fadistas Celeste Rodrigues, João Braga, Katia Guerreiro, Pedro Moutinho, Ana Sofia Varela e Teresinha Landeiro.

O músico Pedro de Castro é o anfitrião desta iniciativa e “o elo de ligação entre as dezenas de fadistas e músicos que participarão nesta grande festa de celebração do fado”.

A Mesa de Frades foi uma antiga capela católica de um palácio de Alfama, na rua dos Remédios, na proximidade do Museu do Fado, situado no largo do Chafariz de Dentro.

Inaugurada em 2005, tendo encerrado há mais de um ano para obras de remodelação, a Mesa de Frades reabre na próxima segunda-feira. De acordo com o museu, “o novo espaço mantém a atmosfera intimista a que nos habituámos e será o palco desta celebração”.

O fado foi proclamado como Património Cultural Imaterial da Humanidade em 27 de novembro de 2011, durante o VI Comité Intergovernamental da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), reunido em Bali, na Indonésia.