As autoridades indonésias elevaram esta sexta-feira para o nível máximo o alerta relacionado com a erupção vulcânica na ilha turística de Bali e ordenaram a retirada de toda a população num raio de 10 quilómetros.

A Agência nacional para a gestão de desastres disse que o aeroporto de Bali foi encerrado por pelo menos 24 horas, com as autoridades a admitirem a sua reabertura na terça-feira após avaliação da situação.

O monte Agung está a expelir uma coluna de cinzas em direção à atmosfera que ultrapassa os quatro quilómetros de altura, e que obrigou ao encerramento já no domingo do pequeno aeroporto internacional da ilha vizinha de Lombok, quando as cinzas se começaram a deslocar para leste.

A cratera do vulcão Agung, em erupção em Bali, está a encher-se de lava “que irá certamente transbordar pelas encostas”, disse o porta-voz da agência de gestão de desastres da Indonésia. Vulcanólogos disseram que a presença da lava é por vezes refletida na nuvem de cinza, que assume um tom avermelhado, mesmo durante o dia.

O porta-voz da agência Sutopo Purwo Nugroho indicou ser possível que se registem erupções maiores do que as observadas até agora, com base nas informações que a agência de gestão de desastres está a receber do centro de monitorização do vulcão. Nugroho disse que “desde ontem [domingo] que há erupções explosivas, cujo som foi ouvido a 12 quilómetros de distância”. As autoridades indonésias ordenaram a distribuição imediata de máscaras, dado que as cinzas vulcânicas continuam a cair em inúmeras aldeias.

Está a ser pedido “a todos os que viajem para Bali” que continuem a “observar as regras de segurança em vigor naquela região e sigam as orientações das Autoridades indonésias”. Existe no Aeroporto um balcão de apoio da União Europeia para cidadãos europeus, estando ainda a ser distribuída informação útil em português por parte das autoridades, disse Fonte do Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas ao Observador.

Previamente, a zona de exclusão em torno do vulcão variava entre 6 e 7,5 quilómetros. A última grande erupção deste vulcão ocorreu em 1963 e matou cerca de 1.100 pessoas. “Não podemos ter a certeza se desta vez as erupções vão ser iguais às de 1963”, disse Nugroho.

Bali é o principal destino turístico da Indonésia, com uma afluência mensal de cerca de 200 mil turistas estrangeiros, segundo dados oficiais. O arquipélago da Indonésia assenta sobre o chamado “Anel de Fogo” do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por milhares de sismos por ano, a maioria moderados.