Alimentação

Preço do pão vai aumentar devido ao aumento dos custos de produção

1.018

Com o aumento dos custos de produção - matéria prima, combustíveis e salário mínimo -, já no próximo ano, o preço do pão terá de aumentar também para fazer face aos custos mais elevados da indústria.

O preço do pão vai aumentar já no primeiro mês do novo ano.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O preço do pão vai aumentar já no primeiro mês do próximo ano. Os dados apontam para uma subida de cerca de 20%. Desde 2011 que o preço não subia, mas os industriais garantem agora que já não é possível manter os valores.

“No início do ano, o pão terá, inevitavelmente, de aumentar. Não dá para aguentar mais esta situação”, quem o diz é António Fonte, presidente da Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Norte (AIPAN), ao Correio da Manhã. O presidente reforça que a subida dos custos de produção não dá outra alternativa, acrescentando que não sabe o valor exato do aumento, mas que “terá sempre de rondar os 20%”, para fazer face aos custos mais elevados.

Aumento dos custos de produção

O CM cita um estudo, com já alguns anos, no qual os dados indicam que a mão de obra representa 33% dos custos nas áreas da panificação e pastelaria; outros 33% dizem respeito à matéria-prima utilizada e 20% correspondem à energia e combustíveis.

Ora, o elevado preço dos combustíveis – gasóleo a 1,36 euros por litro -, a previsão de aumento da energia, gás e eletricidade no próximo ano, bem como o aumento do salário mínimo – que deverá chegar aos 580 euros -, estão na origem desta atualização de preços do pão.

“Com o aumento do salário mínimo em 4,1%, vamos ter de aumentar, na devida proporção, os profissionais que, justamente, ganham acima do salário mínimo”, explica Francisco Silva, presidente da Associação dos Produtores de Ovos Moles de Aveiro e da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP).

Preço das carcaças

Lisboa é a região do país onde o preço da carcaça é mais elevado, e, em janeiro, cada uma passa a custar 24 cêntimos, sendo que no Porto vai custar 16. Já em Braga e em Coimbra deve subir para os 13 e 17 cêntimos, respetivamente, enquanto no Algarve o preço será de 20 cêntimos.

Não é só o pão que vai aumentar…

Ao que parece, não só o preço do pão vai aumentar. O preço dos ovos vai também conhecer uma subida, podendo atingir os dois euros cada dúzia. Nos últimos dois meses, os ovos subiram quase 60%, passando os ovos classe A, tamanho L a custar 1,40 euros ao invés de 85 cêntimos.

Os pasteleiros estão preocupados pois estas são questões que os obrigam “a fazer contas à vida”, segundo Francisco Silva. “Os fogos florestais e o problema da contaminação de ovos pelo inseticida Fipronil, detetado em vários países da Europa, fizeram disparar o preço dos ovos em Portugal”, adverte o presidente, sublinhando que “os fogos queimaram alguns aviários e fizeram disparar os custos da alimentação das galinhas, e a contaminação na Europa fez com que aumentasse a procura dos ovos nacionais”.

Só na zona certificada de Aveiro foram produzidas 200 toneladas de ovos moles, o que significa que foram gastos 1,7 milhões de ovos. Com o aumento de preços previsto para o primeiro mês do ano, só na indústria dos ovos moles a fatura anual deverá crescer 160 mil euros. Em todo o país, há perto de 1600 estabelecimentos à venda ou para trespasse, mais 200 do que em finais de 2016, devido às reduzidas margens de lucro.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)