Alimentação

Preço do pão vai aumentar devido ao aumento dos custos de produção

1.018

Com o aumento dos custos de produção - matéria prima, combustíveis e salário mínimo -, já no próximo ano, o preço do pão terá de aumentar também para fazer face aos custos mais elevados da indústria.

O preço do pão vai aumentar já no primeiro mês do novo ano.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O preço do pão vai aumentar já no primeiro mês do próximo ano. Os dados apontam para uma subida de cerca de 20%. Desde 2011 que o preço não subia, mas os industriais garantem agora que já não é possível manter os valores.

“No início do ano, o pão terá, inevitavelmente, de aumentar. Não dá para aguentar mais esta situação”, quem o diz é António Fonte, presidente da Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Norte (AIPAN), ao Correio da Manhã. O presidente reforça que a subida dos custos de produção não dá outra alternativa, acrescentando que não sabe o valor exato do aumento, mas que “terá sempre de rondar os 20%”, para fazer face aos custos mais elevados.

Aumento dos custos de produção

O CM cita um estudo, com já alguns anos, no qual os dados indicam que a mão de obra representa 33% dos custos nas áreas da panificação e pastelaria; outros 33% dizem respeito à matéria-prima utilizada e 20% correspondem à energia e combustíveis.

Ora, o elevado preço dos combustíveis – gasóleo a 1,36 euros por litro -, a previsão de aumento da energia, gás e eletricidade no próximo ano, bem como o aumento do salário mínimo – que deverá chegar aos 580 euros -, estão na origem desta atualização de preços do pão.

“Com o aumento do salário mínimo em 4,1%, vamos ter de aumentar, na devida proporção, os profissionais que, justamente, ganham acima do salário mínimo”, explica Francisco Silva, presidente da Associação dos Produtores de Ovos Moles de Aveiro e da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP).

Preço das carcaças

Lisboa é a região do país onde o preço da carcaça é mais elevado, e, em janeiro, cada uma passa a custar 24 cêntimos, sendo que no Porto vai custar 16. Já em Braga e em Coimbra deve subir para os 13 e 17 cêntimos, respetivamente, enquanto no Algarve o preço será de 20 cêntimos.

Não é só o pão que vai aumentar…

Ao que parece, não só o preço do pão vai aumentar. O preço dos ovos vai também conhecer uma subida, podendo atingir os dois euros cada dúzia. Nos últimos dois meses, os ovos subiram quase 60%, passando os ovos classe A, tamanho L a custar 1,40 euros ao invés de 85 cêntimos.

Os pasteleiros estão preocupados pois estas são questões que os obrigam “a fazer contas à vida”, segundo Francisco Silva. “Os fogos florestais e o problema da contaminação de ovos pelo inseticida Fipronil, detetado em vários países da Europa, fizeram disparar o preço dos ovos em Portugal”, adverte o presidente, sublinhando que “os fogos queimaram alguns aviários e fizeram disparar os custos da alimentação das galinhas, e a contaminação na Europa fez com que aumentasse a procura dos ovos nacionais”.

Só na zona certificada de Aveiro foram produzidas 200 toneladas de ovos moles, o que significa que foram gastos 1,7 milhões de ovos. Com o aumento de preços previsto para o primeiro mês do ano, só na indústria dos ovos moles a fatura anual deverá crescer 160 mil euros. Em todo o país, há perto de 1600 estabelecimentos à venda ou para trespasse, mais 200 do que em finais de 2016, devido às reduzidas margens de lucro.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)