Harvey Weinstein foi novamente acusado de abusos sexuais, desta vez pela então aspirante a atriz Kadian Noble. A atriz britânica apresentou queixa contra o produtor americano, contra o irmão Bob Weinstein e ainda contra a Weinstein Company, no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, em Nova Iorque, de acordo com o jornal The Guardian. A atriz alega que o produtor a convidou para o seu quarto de hotel durante o Festival de Cannes, em França, em 2004, dizendo-lhe que gostaria de a lançar no seu próximo filme.

Noble pensou que se aceitasse o convite poderia ter uma oportunidade para prosseguir com a sua carreira e foi até ao quarto de Weinstein. De acordo com a denúncia legal apresentada pelo advogado Jeff Herman, e obtida pelo Daily News, a atriz foi forçada a manter atos sexuais com o produtor de cinema de Hollywood. Weinstein começou por lhe tocar nos seios e nas nádegas e, após ela pedir que ele parasse, arrastou-a para a casa de banho e foi aí que se começou a masturbar, obrigando-a depois a continuar o ato.

No documento, que o jornal La Vanguardia publica, lê-se que o produtor “atraiu uma atriz aspirante com a promessa de um papel no novo filme, sabendo que ia usar da força, fraude ou coerção para se envolver com ela sexualmente”. O processo explica ainda que Noble estava a mostrar o seu portefólio e que Weinstein começou a massajar-lhe os ombros. As acusações vão mais longe e a atriz conta que o produtor americano a colocou ao telefone com um produtor da Weinstein Company que lhe disse que se ela fosse “uma boa menina” e se fizesse “qualquer coisa” que eles quisessem eles trabalhariam mais com ela. Noble alega “despreocupação” por parte da companhia de filmes, daí fazer queixa também contra ela.

https://www.instagram.com/p/oTmf7widnT/?taken-by=kadiannoble

Depois do ocorrido, Noble conta que se sente envergonhada e humilhada por o que ele a fez passar e que desde aí é incapaz de levar uma vida normal, sentindo-se muitas vezes angustiada e desconfortável. Questionado sobre o sucedido, o porta-voz de Harvey Weinstein negou tudo: “O sr. Weinstein nega alegações de sexo não consensual”, acrescentando que Weinstein “confirmou ainda que nunca houve atos de retaliação contra qualquer mulher por recusar os seus avanços”.

O processo foi conduzido pelo advogado Jeffrey Herman, que representa Dominique Huett, outra atriz que processou o produtor por abuso sexual. O caso chega depois da onda de acusações iniciada por outras atrizes contra Harvey. Nos últimos tempos, mais de 100 mulheres o acusaram de abusos e assédio sexual durante os últimos 40 anos. Segundo o que se lê no jornal The Guardian, acredita-se que as autoridades de diferentes cidades estão a tentar construir um processo legal contra o produtor.

Harvey Weinstein, de colosso de Hollywood a violador