Milhares de taxistas espanhóis manifestam-se esta quarta-feira no centro de Madrid, contra os serviços prestados pela Uber e Cabify.

Os protestos iniciaram-se às 6:00 da manhã (5:00 em Lisboa) e a greve dura 24 horas, segundo o El País. O setor está altamente afetado, sendo impossível apanhar táxis, exceto no transporte para hospitais, urgências e pessoas com dificuldades de mobilidade.

A Federação Espanhola de Táxis, que representa 70% dos taxistas com licenças, garante que a adesão é de 100% em Madrid, com a área da Gran Vía colapsada. As manifestações estendem-se, assim, às grandes cidades como Barcelona.

Por volta das 11:30, uma enorme manifestação começou em Madrid, partindo da rotunda Atocha, e terminará quatro horas depois na Plaza de Neptuno. A manifestação é conduzida por 35 táxis, seguidos por vários milhares de taxistas a pé, atrás de um cartaz a dizer “Não à CNMC (Comissão Nacional dos Mercados e da Concorrência) e suas multinacionais. A favor do serviço público de táxi”, segundo adianta o Notícias ao Minuto.

Os taxistas reivindicam uma maior fiscalização da atividade dos concorrentes – Uber e Cabify – e criticam uma sentença recente do Tribunal Supremo espanhol que autorizou 80 novas licenças de veículos de transporte com condutor, receando que nos próximos meses possam circular mais 10 mil destes carros. A Uber e a Cabify já mostraram o agrado pela decisão tomada, afirmando que dá aos cidadãos o direito de escolher entre várias alternativas.

A Uber e a Cabify não estão a operar em todos os locais habituais, devido às movimentações dos taxistas e a Cabify partilhou no Twitter a forma como as viagens estão a funcionar neste dia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR