Lisboa está entre as melhores cidades para começar um negócio e Portugal entrou, este ano, no top 10 dos países com maior crescimento de trabalhadores e de postos no setor tecnológico. Os dados surgem no estudo “The State of European Tech 2017”, publicado esta quinta-feira pela Atomico, sobre o ecossistema tecnológico europeu.

Portugal atinge recordes, uma vez que está entre os países com maior potencial em termos de capital investido per capita e a Universidade de Lisboa é uma das organizações com mais relatórios publicados no que diz respeito à matéria da Inteligência Artificial.

Ao Jornal de Negócios, Tom Wehmeier, Partner e Head of Research da Atomico, disse que “há uma grande quantidade de talento em Portugal e estamos a ver níveis fortes de compromisso em relação à tecnologia e empreendedorismo”, acrescentando que “Lisboa é um dos hubs mais atrativos na Europa e continua a sê-lo”.

Assim, este é um ano de recordes para o investimento tecnológico europeu, com mais de 14,4 milhões de euros em 2016, e com mais sete empresas a juntarem-se ao clube dos milhões.

A procura de talento e a competição estão a crescer, o que se reflete depois no aumento dos profissionais e postos de trabalho no setor tecnológico, a nível europeu. A verdade é que, segundo o relatório, a tecnologia está a fazer-se sentir cada vez mais nas indústrias tradicionais.

Tom Wehmeier salientou que há “gigantes tecnológicas mundiais a instalarem-se no continente”, reforçando que “o número cada vez maior de hubs tecnológicos e o aumento da sua relação com as empresas sugere que a Europa está a descobrir a sua própria identidade tecnológica”.

A Atomico, em colaboração com a Slush, recorreu a dados do Linkedin, Meetup, Stack Overflow, Dealroom.co e da London Stock Exchange, pelo terceiro ano consecutivo.