O presidente da OPEP, Jalid al Falih, anunciou esta quinta-feira que o grupo petrolífero em conjunto com uma dezena de produtores independentes decidiram estender o acordo sobre os cortes na produção de petróleo até ao final de 2018. “Tenho o prazer de anunciar a decisão unânime e solene de estender o nosso acordo até ao final de 2018″, disse o presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), citado pela agência EFE.

A reunião dos 14 elementos da OPEP e do grupo de independentes decorreu esta quinta-feira na capital austríaca, com o objetivo de analisar a situação do mercado petrolífero. Desde a decisão do ano passado, que cortou a produção conjunta em cerca de 1,8 milhões de barris por dia, os preços do petróleo aumentaram para mais de 51 euros (60 dólares) por barril, atingindo o nível mais alto dos últimos dois anos.

” [A meta] é reduzir, pelo menos, 150 milhões de barris de petróleo, abaixo dos níveis atuais da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) “, sublinhou Jalid al Falih. O presidente da OPEP disse ainda que está “extremamente otimista”, defendendo que “os investimentos retornarão ao setor do petróleo” a médio e longo prazo.