As Forças Armadas argentinas anunciaram que vão parar as operações de busca por sobreviventes do ARA San Juan, o submarino que está desaparecido desde 15 de novembro. O El País avança que o porta-voz da investigação, Enrique Balbi, explicou que a procura pelo submarino vai continuar, mas o salvamento de pessoas foi suspenso e os 44 tripulantes do submarino San Juan foram dados como mortos.

O submarino argentino San Juan desapareceu no dia 15 de novembro, há mais de duas semanas. Às 7h30 locais (10h30 em Lisboa) do dia 15 de novembro, a embarcação fez o último contacto com a base a reportar uma avaria elétrica. Havia 44 marinheiros a bordo, com condições para sobreviver pelo menos ao longo de sete dias dentro do navio. “Está estabelecido e calculado internacionalmente que sete dias é o tempo que um submarino acidentado deve e pode esperar pela ajuda externa”, explica ao Observador o comandante Taveira Pinto, diretor técnico-pedagógico do Centro de Instrução de Submarinos e contacto nacional para os organismos internacionais de salvamento de submarinos.

Quem são os 44 marinheiros a bordo submarino argentino desaparecido