Um comboio atropelou uma pessoa na Galiza, entre a estação de Corunha e de Burgo de Santiago, esta sexta-feira pouco depois das 20h00 horas (19h00 de Lisboa). Depois de a circulação do comboio em questão ter sido interrompida, a sua marcha já foi retomada.

As primeiras notícias apontavam para o atropelamento de “várias pessoas”, informação que a Renfe, a ferroviária estatal espanhola acabou por retificar na sua conta de Twitter. “Retificação: o comboio de Corunha-Monforte foi detido devido ao atropelamento de uma pessoa”, corrigiu a Renfe. “Por um erro mecanográfico, escrevemos ‘pessoas’, no plural. Após ordem das autoridades, o comboio já retomou a marcha. Pedimos desculpa pelo inconveniente.”

A informação inicial foi avançada na conta de Twitter da Renfe, a ferroviária estatal espanhola. Depois da publicação deste artigo, o post em questão foi retirado pela Renfe.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

https://twitter.com/Inforenfe/status/936672388732936192?ref_src=twsrc%5Etfw&ref_url=http%3A%2F%2Fwww.elmundo.es%2Fespana%2F2017%2F12%2F01%2F5a21b09b46163f02528b4607.html

Em 2013, morreram 79 pessoas na sequência de um descarrilamento de um comboio na Galiza. O maquinista admitiu que circulava a 190 quilómetros por hora, quando a velocidade máxima permitida na curva onde o comboio descarrilou era de 80 quilómetros por hora. A Procuradoria-Geral espanhola acusou-o de homicídio negligente de 79 pessoas e pediu que cumprisse uma pena de quatro anos e meio de prisão. Porém, o processo de instrução ainda não terminou e pode conhecer um desfecho apenas em 2019.